New Balance > Running  > Correndo pela vida: a história de Fred Lebow

Correndo pela vida: a história de Fred Lebow

Traçamos o perfil do criador da Maratona de Nova York, que chegou aos Estados Unidos como estrangeiro e fez história ao influenciar o mundo da corrida.

Fred Lebow para sempre será lembrado como precursor da maior maratona do mundo.

A NYC Marathon, ou Maratona de Nova York, foi criada em 1970 por influência desse romeno radicado nos Estados Unidos. De família judia, Fischl Leibowitz nasceu na região da Transilvânia e atravessou países como Tchecoslováquia, Irlanda e Holanda antes de chegar aos Estados Unidos no início dos anos 60 em busca de uma vida e oportunidades de trabalho mais dignas.

Ter vivenciado a infância e adolescência em um cenário de guerras não acabou com os planos do jovem que frequentou o Fashion Institute of Technology e chegou a trabalhar com marketing na indústria de roupas nos anos 70.

Os planos de Fred Lebow: internacionalizar a maratona de Nova York

Em território americano, Lebow decidiu trocar o terno por um calção de corrida e passou a frequentar maratonas para expandir seu conhecimento sobre esse possível mercado.

A experiência em marketing serviu de incentivo para descobrir novas propostas. Em 1970, ano em que aconteceu a primeira maratona de Nova York, Lebow correu 13 provas durante o ano para ampliar o “networking”.

Suas aventuras renderam convites a Grete Waitz, Ingrid Kristiansen, Hibrahim Russein e outros grandes nomes da época.

Ainda assim, Lebow custeou do próprio bolso US$ 300 para organizar a prova que contou com 127 corredores, dos quais apenas 55 cruzaram a linha de chegada.

Três anos após organizar a primeira corrida, Lebow se tornou presidente da New York Road Runners, organização fundada em 1958, sem fins lucrativos, cuja principal missão é influenciar e inspirar as pessoas a aderirem à corrida.

Nos seis anos seguintes, profissionalizou a prova e estendeu o trajeto que começou em volta do Central Park para os cinco distritos da Big Apple.

Em um país que nem era o seu, em uma cidade que nem era sua, Fred Lebow assumiu sua vida enquanto imigrante e a dedicou a uma causa: a de tornar a maratona de Nova York não só um dos maiores eventos do calendário da corrida no mundo como também um acontecimento único na cidade.

Um ano depois de registrar o recorde do número de participantes à época –  24.996 pessoas em 1989 – Fred Lebow foi diagnosticado com um linfoma no cérebro. Em 1991, ainda chegou a retirar um tumor da glândula tireoide em uma tentativa paliativa de conter a doença.

No ano seguinte, mesmo contra a determinação dos médicos, Lebow correu os 42.195m da maratona em 5h32min. Ao final, encontrou Grete Waitz, uma das maiores campeãs da prova, na linha de chegada em um momento que ficou marcado para a história.

Em 10 de outubro de 1994, Fred Lebow morreu aos 62 anos. Vai o homem, fica o legado. Valeu, Fred!

Veja mais curiosidades sobre a prova aqui.

No Comments

Leave a reply